domingo, 23 de setembro de 2018

Visto para yonsei: zero de pedido

O jornal São Paulo Shimbun conferiu no consulado de São Paulo: zero de pedido de visto de yonsei

Visto para yonsei

O tão esperado visto para yonsei implementado a partir de julho deste ano parece não ter obtido o sucesso esperado. O Japão precisa de mão de obra estrangeira e está alargando as portas para os estagiários asiáticos. Eles poderão obter permanência no país por 5 anos.

Enquanto isso o visto para yonsei maquiado de “ponte entre o Japão e a comunidade nikkei de seu país” permite o trabalho, mas parece não ser esse o objetivo. Apesar de a nova legislação apontar que se preencher os requisitos poderá permanecer por 5 anos.

Com o rigor para obtê-lo vários fatores podem ser impedimentos. Um deles é a questão da pessoa que irá recepcioná-lo. As diretrizes ainda não estão bem esclarecidas.

Segundo o jornal São Paulo Shimbun, até 20 deste mês há zero de pedido desse visto no Consulado-Geral do Japão da capital paulista. O jornal ainda aponta que a parede para essa categoria de visto é espessa. Aí fica uma questão da “real intenção ou tatemae” do governo, já que foi implementado no ano em que se comemora 110 anos de imigração japonesa no Brasil. Tatemae significa postura ou posição pública, mas na linguagem popular seria algo como aparência.

Há limitações no programa como a idade – 18 a 30 anos, não poder trazer os filhos e a proficiência do idioma, entre outras.
Fonte: Portal Mie com governo e São Paulo Shimbun

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Okinawa oferece bolsas de estudo e estágio a brasileiros com parentes na província

Inscrições estão abertas na Associação Okinawa Kenjin do Brasil, em SP
Bolsa de Estudo de Okinawa

A Associação Okinawa Kenjin do Brasil, com sede em São Paulo, está com as inscrições abertas para bolsas de estudo em universidades da província ou estágios em empresas locais.

As bolsas são oferecidas aos brasileiros descendentes de japonês, com antepassados naturais de Okinawa. O objetivo é formar pessoas que possam se tornar futuras pontes entre o Brasil e a província no extremo sul do Japão.

As modalidades de bolsas oferecidas se dividem entrem um ano de estudo em uma universidade da província ou um ano de estágio ou estudo em artes tradicionais.

Os contemplados também poderão estudar 6 meses em uma universidade como “aluno especial” e completar o intercâmbio com 6 meses de estágio em áreas como educação, turismo, comunicação, arquitetura e estética.

As bolsas relacionadas a artes tradicionais envolvem 3 meses de estudo de japonês (caso haja necessidade) e 9 meses de estudo ou estágio em artes tradicionais de Ryukyu, como culinária okinawana ou confecção de taiko.

Os candidatos selecionados serão contemplados com as passagens de ida e volta, alojamento, seguro de saúde, custos de educação e ajuda de custo mensal. O intercâmbio está previsto para abril de 2019 com duração até março de 2020.

No próximo sábado (25), a Associação irá realizar, a partir das 14h, uma palestra informativa sobre as bolsas, com a presença de ex-bolsistas. O evento será realizado no 2º andar da sede e os interessados poderão tirar dúvidas sobre requisitos, condições e opções de estudos.

Requisitos
- Nacionalidade brasileira ou dupla nacionalidade
- Ter ascendência na província de Okinawa
- Ensino médio completo
- Ter menos de 35 anos até 1º de abril de 2019
- Conhecimento de língua japonesa equivalente ao nível 4 da proficiência (ou nível 2 para os interessados nos estágios em empresas)
- Ter condições para arcar com custo de vida que possa exceder o valor da bolsa
- Ter parente morando em Okinawa
- Ter participação na AOKB-CCOB (Associação Okinawa Kenjin do Brasil e Centro Cultural Okinawa do Brasil) e se comprometer a participar das atividades, trabalhando para estreitar os laços entre Brasil e Okinawa.

Opções de Universidades
Universidade Internacional de Okinawa (Okinawa Kokusai Daigaku)
Universidade Meio (Meio Daigaku)
Universidade de Belas Artes de Okinawa (Kenritsu Geijutsu Daigaku)
Universidade de Ryukyu (Ryukyu Daigaku)
Universidade de Okinawa (Okinawa Daigaku)

Inscrições
As inscrições estão abertas na secretaria da Associação Okinawa Kenjin do Brasil: Rua Tomás de Lima, 72, Liberdade. Os candidatos podem se inscrever até às 17h do dia 28 de agosto.

A seleção envolve prova de japonês, conhecimentos gerais em português e entrevista em japonês, que será marcada para o dia 1º de setembro na sede da Associação.

Mais informações:
Associação Okinawa Kenjin do Brasil
Rua Dr. Tomás de Lima, 72 Liberdade São Paulo/SP CEP 01513-000
Tel.(11) 3106-8823 / Fax (11) 3241-08747 | E-mail: brasil@okinawa.org.br
Fonte: Alternativa

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Novo visto para trabalhadores estrangeiros a partir de abril de 2019

Começam os preparativos para implementação da aceitação de estrangeiros para trabalhos em diversos setores, no Japão
novo visto de trabalho para estrangeiros qualificados

Foi realizada uma coletiva de imprensa na quarta-feira (11) para explicações a respeito da ampliação da aceitação de estrangeiros para trabalhos em setores específicos.

Yoshihide Suga, o secretário-chefe de gabinete do governo, recebeu os jornalistas em Tóquio. “Vou preparar uma reunião ministerial relacionada em breve para decidirmos sobre a legislação necessária”, disse.

Explicou que o governo está analisando os tipos de profissionais e o fortalecimento do ensino do idioma japonês. Pretende fazer isso durante este mês.

Também declarou que deseja aplicar a nova política de gestão do novo status de residência dos trabalhadores estrangeiros a partir de abril do ano que vem.

“Gostaria de criar um mecanismo para aceitação de ampla gama de especialistas estrangeiros com experiência e habilidades”, afirmou. Os setores que necessitam dessa demanda são os da agricultura e construção civil. Há outros, em estudo, no total de 5.

Mas voltou a enfatizar “não se trata de um simples trabalhador, tampouco de política imigratória”.

O governo pretende submeter à aprovação da Dieta a emenda à Lei de Controle de Imigração em sessão extraordinária no outono deste ano.
Fonte: Portal Mie com Jiji Press e Nikkei

domingo, 27 de maio de 2018

Saiba quais são os testes de avaliação para obter visto para yonsei

O governo publicou as diretrizes para aprovação do visto de yonsei na sua página web. Entre elas, o sistema para avaliar o conhecimento do idioma. Saiba quais são os testes

Está chegando a época de dar entrada no visto para yonsei aprovado pelo governo japonês. A liberação começa em julho deste ano e o Ministério da Justiça do Japão publicou em sua página web o sistema de aceitação do nikkei yonsei.

Entre as informações sobre a obtenção do visto para o descendente de quarta geração dos japoneses, o teste para avaliar o nível do conhecimento do idioma estava vago, quando o anúncio foi feito.

Nessa página constam todos os procedimentos antes da entrada no Japão e depois. Entre eles, há informação sobre os testes. Saiba quais são, a seguir.

visto yonsei

Testes aceitos
O ministério aceitará o resultado de um desses 3 testes:
- Nível 3 ou superior do Teste de Proficiência da Língua Japonesa (日本語能力試験N3以上), mas no formulário do governo está escrito N4, portanto, supõe-se que seja nível 4
- Acima de 400 pontos do J-Test ou Teste Prático da Língua Japonesa, nível A-D (J.TEST実用日本語検定のA-Dレベル試験400点以上)
- Nível 3 ou superior do NAT-Test (日本語NAT-TESTの3級以上)

1 – Teste de Proficiência da Língua Japonesa
Esse teste – JLPT – é realizado 2 vezes ao ano. Em 2018 as datas são 1.º de julho e 2 de dezembro, no domingo.

O número de candidatos aos 5 níveis do teste cresce a cada ano. Em julho do ano passado foram 152.267 candidatos no Japão e 466.407 no exterior, totalizando 466.407.

Dos quase 500 mil a média geral de obtenção dos respectivos certificados foi de 40%. Por algum motivo, o índice é maior entre os candidatos do exterior, com média de 43%.

No nível de conhecimento básico, o 5, o índice é maior, de 54%. Vai diminuindo de acordo com a escala de dificuldade. O nível 1 tem aprovação de 34%. É realizado tanto no Brasil quanto no Peru, no total de 14 países das Américas Central e do Sul.

2 – J-Test
As provas do J-Test são realizadas várias vezes ao ano. Em 2018 foram programadas 5 datas, sendo que as próximas no Brasil são sempre em meses ímpares, 6 vezes ao ano, na Vila Mariana, em São Paulo. A próxima prova está com inscrições abertas e será realizada em 8 de julho.

Na América do Sul é realizado somente no Brasil, através da J. Master. Clique aqui para abrir a página do Facebook. Caso resida no Japão e queira enviar os cadernos das provas passadas para treino, pode adquiri-los na página web (clique aqui). Mas no Brasil são vendidos materiais, segundo a página web (clique aqui).

3 – NAT Test
O NAT Test é realizado 6 vezes ao ano, no Japão e em vários outros países da Ásia. É interessante para o yonsei que conseguir o visto e, na renovação da sua estada no Japão, pode apresentar o resultado desse teste como opção. As próximas datas deste ano são 12 de agosto, 14 de outubro e 9 de dezembro.

O formulário para aplicação pode ser visto na página do ministério (clique aqui).
Fonte: Portal Mie com MOJ e divulgação

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Atendimento nos Consulados do Brasil no Japão no Golden Week

Veja os dias de atendimento ao público no feriado de Golden Week e recomendações importantes dos Consulados

Haverá atendimento nos Consulados-Gerais de Nagoia, Hamamatsu e Tóquio nos dias 1º e 2 de maio.

Normalmente, o fluxo de pessoas nessa época de feriado é intenso, portanto, veja algumas recomendações:

Consulado-Geral do Brasil em Nagoia
Nos últimos anos, o atendimento na semana de Golden Week tem sido um período de grande movimento no Consulado-Geral em Nagoia.

Ainda que tomemos todas as medidas possíveis para agilizar o atendimento, o tempo de espera nesse período é, inevitavelmente, maior. Recomenda-se, caso possível, vir ao consulado antes ou depois do período da Golden Week.

Caso pretenda, entretanto, vir ao Consulado no dia 1º ou 2 de maio, recomendamos a leitura atenta das orientações abaixo.

Atenção: para evitar transtornos, atrasos ou até mesmo a inviabilidade de emissão dos documentos, é muito importante seguir as instruções para os serviços desejados e comparecer com os documentos exigidos.

• Distribuição de senhas:

Nesses dias, as senhas de atendimento serão distribuídas até as 12h. Depois das 12h, a fila será fechada, e aqueles que chegarem depois não serão atendidos.

Em 2017, aqueles que chegaram ao Consulado por volta das 12h foram atendidos até as 20h.

• Espera para atendimento:

Assim como em anos anteriores, estima-se que o tempo de espera para o atendimento possa ser de aproximadamente seis horas.

As instalações do Consulado-Geral não comportam todos os requerentes em lugar coberto e com assentos. Assim, pode ser necessário aguardar em fila na rua, por tempo considerável.

Nesses dias, recomendamos que venham ao Consulado-Geral apenas aqueles que queiram requerer serviços e, quando necessário, suas testemunhas. Evite trazer parentes e amigos que não precisem de atendimento. Considerando o movimento e ocupação do espaço no saguão de espera e nos corredores do prédio, pode ser solicitado que os acompanhantes aguardem fora do Consulado.

Para mais informações:
Consulado-Geral do Brasil em Nagoia: nagoia.itamaraty.gov.br/pt-br/News.xml

Consulado-Geral do Brasil em Hamamatsu
Durante a Golden Week, o Consulado-Geral em Hamamatsu estará fechado nos dias 30 de abril, 3 e 4 de maio de 2018.

De modo a evitar transtornos nesse período de grande procura por serviços consulares, nos dias 1° e 2 de maio de 2018 a distribuição de senhas para atendimento ao público será, excepcionalmente, das 9h às 11h.

Para mais informações:
Consulado-Geral do Brasil em Hamamatsu: hamamatsu.itamaraty.gov.br/pt-br/News.xml

Consulado-Geral do Brasil em Tóquio
Durante o período da Golden Week o Consulado-Geral do Brasil estará aberto para atendimento ao público nos dias 1º  e 2 de maio de 2018.

O horário de atendimento é de 9h às 13h.

 As senhas serão distribuídas até as 13h. Depois desse horário, o atendimento será realizado somente para aqueles que estiverem com senha.

Tendo em vista a previsão de grande público nesses dias, recomendamos que o cidadão verifique em nossa página web as instruções e os documentos necessários para os serviços consulares que deseja realizar.

Verifique em nossa página web se o serviço desejado pode ser solicitado por via postal.

De forma a garantir maior comodidade ao público, recomendamos não vir acompanhado de pessoas (parentes ou amigos) que não forem solicitar serviços consulares.

Recomenda-se que, caso possível, evite-se comparecer ao Consulado com crianças e bebês de colo.

Para mais informações:
Consulado-Geral do Brasil em Tóquio: cgtoquio.itamaraty.gov.br/pt-br/Main.xml
Fonte: Portal Mie

quarta-feira, 14 de março de 2018

Concurso de redação vai premiar vencedores com viagem ao Japão

Jovens de 14 a 25 anos podem enviar textos em inglês, francês, espanhol, alemão ou japonês 

Concurso Internacional de Ensaio Literário para Jovens de 2018

Com apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), a Goi Peace Foundation está convidando jovens de todo o mundo a participar do Concurso Internacional de Ensaio Literário para Jovens de 2018. O tema deste ano é “A mudança que quero fazer” e o prazo é 15 de junho.

Os vencedores receberão como prêmio uma viagem ao Japão, com direito a participar da cerimônia de premiação. Podem participar jovens entre 14 e 25 anos, considerando a data de 15 de junho de 2018 como referência.

As redações devem ter até 700 palavras em inglês, francês, espanhol ou alemão, ou até 1.600 caracteres em japonês, excluindo o título do ensaio e a página de rosto. Os textos podem ser digitados ou impressos, escritos por um único autor.

O concurso é organizado anualmente em um esforço para aproveitar a energia, a criatividade e a iniciativa da juventude mundial na promoção de uma cultura de paz e do desenvolvimento sustentável. Também pretende inspirar a sociedade a aprender com as mentes jovens e a pensar sobre como cada um pode fazer a diferença no mundo.

O concurso é uma atividade do Programa de Ação Global da Unesco (GAP) sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável (ESD, ambas as siglas em inglês).

Confira mais detalhes aqui.
Fonte: Alternativa

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Cidade de Fukuoka passará a emitir certidões para casais LGBT

Certidão para casais LGBT

Ao sudoeste do Japão, a cidade de Fukuoka, no sudoeste do país, disse na quarta-feira que começará a reconhecer as parcerias de casais gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros em abril, tornando-se o sétimo município a fazê-lo, apesar de um sistema que não existe a nível nacional.

Ao contrário dos casamentos oficiais, o reconhecimento não implica direitos ou obrigações legais, mas espera-se que seja usado quando os casais alugam habitação administrada pela cidade ou se submetem a tratamento médico que exigem o consentimento de um membro da família nos hospitais da cidade.

No Japão, as câmaras de Shibuya e Setagaya em Tóquio tornaram-se os primeiros governos locais a reconhecer as parcerias do mesmo sexo em 2015, seguidas pelas cidades de Iga, Takarazuka e Naha. A cidade de Sapporo, no norte do Japão, também começou a reconhecer os casais LGBT em junho passado.

Para as pessoas cuja identidade de gênero não corresponde ao seu sexo físico, Sapporo e Fukuoka reconhecem como parceiros casais que são do sexo oposto no registro oficial da família. Embora esses casais possam optar pelo casamento legal, alguns querem arquivar parcerias LGBT.

Em novembro de 2015, em Shibuya, Koyuki Higashi, ex-membra do grupo teatral só de mulheres “Takarazuka Revue”, e sua parceira e empresária, Hiroko Masuhara, se tornaram o primeiro casal, do mesmo sexo do Japão reconhecido sob o sistema de parceria, mas depois se separaram.

A cidade do sudoeste do Japão também está considerando oferecer serviços de consulta para pessoas LGBT e organizar eventos de rede. Um orçamento para esse fim será apresentado em uma reunião da assembléia local nesta próxima semana.
Fonte: IPC Digital

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Visto para yonsei ainda em clima de suspense

Segundo matéria publicada nesta terça-feira o governo deverá apresentar um ‘comentário público’ dentro de um mês

Expectativa para receber o ‘aprovado’ em relação ao visto para yonsei
Apesar da imprensa japonesa já ter divulgado que a implementação do visto para yonsei deverá ocorrer ainda dentro deste ano fiscal, ou seja, até final de março, o ‘comentário público’ ainda não foi divulgado.

O jornal Mainichi desta terça-feira (9) trouxe uma matéria sobre o assunto. Explica quais seriam os critérios para o visto. O objetivo do visto é que os descendentes de quarta geração possam servir de ponte entre as duas sociedades – japonesa e nikkei no Brasil. Mas na realidade é para permitir que eles, sejam brasileiros, peruanos ou filipinos, possam trabalhar no Japão.

Uma das condições é que venham trabalhar, mas não podem trazer as crianças e que também tenham um determinado nível de conhecimento do idioma japonês. Ainda não se sabe qual será o parâmetro, mas se fala no nível 4 do teste de proficiência do idioma, devendo ser aprimorado durante sua estada de no máximo 5 anos.

O que é ‘comentário público’
Segundo a matéria, o public coment (traduzido livremente como comentário público), deverá ser divulgado em um mês, pelo Ministério da Justiça.

De acordo com as explicações do governo em sua página, public coment é um termo da língua inglesa que significa “procedimento quando um órgão governamental divulga amplamente uma opinião, informação ou proposta de melhoria, quando pretende estabelecer um novo regulamento ou uma nova ordem”.

Segundo o fluxograma da explicação sobre o public coment, depois dessa divulgação ainda há um período para outros procedimentos até que seja divulgado oficialmente a implementação do novo regulamento.

Portanto, em relação ao visto para yonsei continua o suspense até a sua aprovação final.
Fonte: Portal Mie com e-Gov e Mainichi

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Feriados 2018 do Consulado do Japão em São Paulo

Feriados do ano de 2018
Feriados do ano de 2018
 
  Dia Dia de Semana Feriado
  01 de janeiro (Segunda-feira) Ano Novo
  02 de janeiro (Terça-feira) Feriado de começo de ano
  25 de janeiro (Quinta-feira) Aniversário da Cidade de São Paulo
  12 de fevereiro (Segunda-feira) Carnaval
  13 de fevereiro (Terça-feira) Carnaval
  30 de março (Sexta-feira) Sexta-feira Santa
  21 de abril (Sábado) Tiradentes
  01 de maio (Terça-feira) Dia do Trabalho
  31 de maio (Quinta-feira) Corpus Christi
  09 de julho (Segunda-feira) Dia da Revolução Constitucionalista
  07 de setembro (Sexta-feira) Independência do Brasil
  12 de outubro (Sexta-feira) Nossa Senhora Aparecida
  02 de novembro (Sexta-feira) Finados
  15 de novembro (Quinta-feira) Proclamação da República
  20 de novembro (Terça-feira) Dia da Consciência Negra
  25 de dezembro (Terça-feira) Natal
  30 de dezembro (Domingo) Feriado de fim do ano
  31 de dezembro (Segunda-feira) Feriado de fim do ano

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Visto para yonsei deverá ser adiado

A expectativa era a liberação do visto para o nikkei yonsei em novembro. No entanto, poderá ser adiada
visto para yonsei

De acordo com matéria publicada pelo São Paulo Shimbun, de quarta-feira (11), horário do Brasil, há possibilidade de adiamento da portaria que regulamenta o visto para yonsei.

O assunto foi abordado durante o simpósio entre os colaboradores do CIATE- Centro de Informação e Apoio ao Trabalhador no Exterior, realizada em 7 e 8 deste mês, em São Paulo-SP.

Yoji Kobayashi, do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão foi questionado pela plateia sobre o assunto. “No momento a Câmara dos Representantes do Japão foi dissolvida e até o dia das eleições em 22, tem um período de recesso. O esquema (plano) se encontra em análise nos ministérios relacionados”, explicou. Por isso, a portaria do Ministério da Justiça que estava prevista para novembro, portanto, poderá ser adiada.

Resumo da movimentação para o visto para yonsei
Segundo o jornal, para resumir o fluxo até o momento, em junho do ano passado, foi expedida uma solicitação de permissão de residência ao nikkei yonsei pelo então Embaixador do Japão no Brasil Kunio Umeda. Ela foi baseada na solicitação efetuada em conjunto por 6 organizações nikkeis.

No simpósio dos colaboradores do CIATE em setembro do ano passado, foi apresentado o resultado de uma pesquisa sobre a consciência dos nikkeis de terceira e quarta gerações (sansei e yonsei). No Nikkeijin Taikai, em outubro do ano passado, foi adotada uma declaração da convenção que solicita o visto para o yonsei.

Em 21 de julho deste ano, durante a visita do parlamentar Mikio Shimoji, do Partido da Restauração, ele mencionou a possibilidade do visto para yonsei aos moldes do WH-working holiday. Nessa ocasião ele disse que esse visto seria concedido somente para as pessoas com idade acima dos 18 anos, sem mencionar outras restrições.

No entanto, em 31 de julho deste ano, o jornal japonês Yomiuri trouxe uma matéria sobre o assunto. Nela, a idade seria limitada entre 18 a 30 anos, exigiria-se conhecimento equivalente ao nível 4 do Teste de Proficiência do Idioma Japonês e que no momento da renovação do visto não seria permitido o acompanhamento de alguém da família.

Visto para yonsei: possibilidades
“O nikkei de quarta geração – yonsei – atuaria como uma ponte entre as sociedades japonesa e nikkei, tornando-se uma pessoa com conhecimento da cultura japonesa. Quando do seu retorno ao Brasil, será um elemento ativo na sociedade”, explicou em resposta às perguntas da plateia.

Especulou a possibilidade de não estabelecer um teto para a idade, em razão dessa “ponte”.

Respondeu às perguntas sobre as possibilidades além das fábricas, como estudar em universidade japonesa. “Embora eu não tenha qualquer informação para responder concretamente sobre algo além do emprego, penso que é importante enfatizar a educação das crianças”, manifestou seu pensamento.
Fonte: Portal Mie com São Paulo Shimbun

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Japão decide introduzir o visto para yonsei (quarta geração)

O Ministério da Justiça solidificou a política de novo sistema de visto para yonsei, com condições não anunciadas pelo parlamentar que esteve no Brasil. Confira.
Visto para yonsei: tokutei katsudo

O Ministério da Justiça solidificou a política de introdução de um novo sistema de visto para que os descendentes de quarta geração (yonsei) que cumpram os requisitos, tais como certo nível de compreensão do idioma possam trabalhar no Japão.

Segundo o jornal Yomiuri, desta manhã de segunda-feira (31), nessa fase introdutória a intenção é permitir a entrada de cerca de mil pessoas por ano. Antes do início da implementação pretende fazer um comentário público.

No novo sistema, a intenção é fazer com que o yonsei tenha interesse pelo Japão e se aprofunde na cultura. O objetivo é a formação de recursos humanos que possam servir de ponte entre a comunidade nikkei onde vive e a sociedade japonesa, no futuro.

Visto para yonsei: tokutei katsudo
O sistema proposto é o working holiday, como há em outros países, onde se obtém a permanência enquanto trabalha. A faixa etária alvo e limitada é entre 18 a 30 anos. Para sua estadia será concedido um status de residência chamado tokutei katsudo (特定活動) ou traduzido livremente para o português como atividade específica.

Para a implementação, o candidato será submetido a um teste de conhecimento do cotidiano do idioma, equivalente ao teste de proficiência nível 4.

Para a renovação do status de residência, a condição é ter conhecimento do idioma japonês, equivalente ao teste de proficiência nível 3. Provavelmente serão apresentadas frases mais complexas para avaliação. Nessa ocasião, será proibido levar alguém da família.
Fonte: Portal Mie com Yomiuri Shimbun

domingo, 23 de julho de 2017

Em novembro o visto para Yonsei pode ser liberado

visto para yonsei

Não é só o estatus financeiro que atraem os descendentes da 4ª geração ao Japão, alguns possuem uma ligação profunda com o país. Algumas famílias estão separadas por causa do visto. Casos como o da brasileira Marina de Souza Nakano (49), recém chegada ao Japão e moradora da cidade de Suzuka/Mie vem sendo decorrente na comunidade brasileira. Marina deixou no Brasil os dois filhos Fábio (22) e Fernanda (21). Ela conta que regressou ao Brasil em 2009, na crise, na época nem ela e os filhos tinham visto permanente e não imaginou que fosse querer retornar ao Japão, os filhos se adaptaram rápido no Brasil, mesmo tendo nascidos no Japão, estavam indo bem na escola e ela tinha arrumado um bom emprego. Em maio de 2016 foi demitida e desde então não conseguiu mais trabalho fixo, e a vida passou a ficar apertada, foi então que resolveu retornar ao Japão, mas teve que deixar os dois filhos com a irmã. ” Meu coração vive apertado, não durmo direito, minha cabeça está aqui mas meu coração está no Brasil ” revela Marina, que recebe com esperança a notícia da possibilidade da liberação do visto para Yonseis  em novembro.

A esperança calibrada na politicagem de um laço de amizade
O Brasil está em crise e o Japão precisa de mão de obra mas o país não quer imigrantes e sim decasséguis (termo usado para trabalhadores que retornam ao país de origem depois de um período).  O acordo firmado no final da década de 80, que liberou o visto de trabalho para os descendentes de japoneses até a terceira geração (sanseis), foi a solução que o país encontrou para suprir a escassez da mão de obra naquele momento, só que o prazo se esgotou e o país volta a sofrer do mesmo problema que o fez tirar o trinco da porteira há quase 30 anos.

O Japão revive o mesmo problema de décadas, precisa da mão de obra estrangeira, mas não pensa em uma política imigratória. A comunidade brasileira está envelhecendo, sem futuro e perspectivas no Japão. A experiência do Japão com a comunidade brasileira infelizmente não foi bem sucedida e muitos políticos e órgãos municipais enxergam com cautela qualquer movimentação em relação a liberação em massa para os vistos de trabalho. Kato Suzuki do departamento de estrangeiros da prefeitura de Izumo/ Shimane, acredita que é necessário ter uma política imigratória para os estrangeiros que pretendem ficar no Japão por longo período. Segundo ele já se passaram quase 30 anos desde o primeiro acordo que liberou vistos de trabalho para milhares de estrangeiros descendentes de japoneses da 3ª geração. De acordo com Kato é preciso pensar no impacto que esses estrangeiros vão causar no país no futuro se não houver uma política que auxilie e os oriente principalmente na educação dos filhos, caso contrário serão poucas as chances dessa nova geração ocupar vagas nas universidades do país e isso levará o Japão a caminhar para um outro problema muito maior a estagnação intelectual e cultural.

visto para os yonseis

A notícia que agitou a comunidade nikkey
O deputado Mikio Shimoji, 55, do partido Nihon Ishin no Kai, anúncio no dia 21 de julho no Bunkyo, em São Paulo, a “intenção” de transformar o projeto de liberação do visto de longa permanência para os Yonseis em um decreto, o que facilitaria a provação, porque não teria a necessidade do “projeto” ser debatido e votado no plenário. De acordo com o deputado Mikio Shimoji, um texto na lei imigratória estaria sendo elaborado em conjunto com o Ministério da Justiça e das Relações Exteriores do Japão.

Para que essa nova lei entre em vigor, é necessário que o Primeiro Ministro Shinzo Abe assine o decreto. Shinzo Abe, fomentou as esperanças dos Yonseis quando levou pela primeira vez ao parlamento essa questão em fevereiro deste ano.

O momento parece oportuno e conspira para a concretização de uma emenda na lei imigratória que beneficia o visto para os Yonseis. Em 2018 completará 110 anos da imigração japonesa no Brasil.

O documento que está sendo elaborado prevê uma série de reformas que atende à solicitação feita ao governo central do Japão por importantes entidades nikkeis do Brasil neste sentido.

Alguns pontos ainda estão sendo debatidos, e uma das propostas é o sistema Working Holiday que já existe no Japão.

O Working Holiday permite que o estrangeiro aprenda a língua e a cultura nipônica, podendo trabalhar no período de sua estadia a fim de obter o recurso necessário para isso. O Japão mantém este acordo com 18 países. Porém, os estrangeiros só podem permanecer um ano no país. Esse mesmo sistema pode ser aplicado ao Yonseis, com a diferença de aumentar o tempo de estadia para 3 anos. Os cônjuges e os filhos dos yonseis também poderiam ser favorecidos com esta medida, e após esse prazo o pedido de renovação seria analisado pelos órgão competentes do país.

Para o deputado, esse sistema precisa garantir que o yonsei tenha acesso não só ao ensino da língua nipônica como também às maiores facilidades de inserção e inclusão social. “Não queremos que o yonsei seja tomado apenas como uma força de trabalho”, explica.
Fonte: IPC Digital

terça-feira, 16 de maio de 2017

Partido Liberal Democrático propõe liberação do visto para yonsei

Órgão consultivo do Partido Liberal Democrático propõe a liberação do visto para yonsei e outros
liberação do visto para yonsei

A sede de promoção do “Ichi Oku Sou Katsuyaku” do Partido Liberal Democrático, órgão consultivo privado do primeiro-ministro, entregou um documento sobre a liberação do visto para yonsei e outros para o Ministro do Estado para Missões Especiais Katsunobu Kato.

Diferente dos sanseis e outros como os brasileiros e peruanos com traços japoneses (Nikkei), os yonseis têm o tempo de visto no Japão limitado. Por causa disso, o documento propõe o sistema “working holiday” para permitir que os yonseis consigam trabalhar, e estudar japonês no país. O documento também pede um debate sobre o aumento do tempo de visto.

Além disso, esse documento também pede um maior aceitamento dos idosos que desejam continuar trabalhando. O documento propõe a participação de idosos nas atividades regionais e na agricultura, aumento das oportunidades de trabalho para os idosos e até o adiamento do início do recebimento da pensão pública.

O governo brevemente irá analisar as condições de implementação do “Ichi Oku Katsuyaku Plan” decidido no ano passado. Em relação a esse conteúdo apresentado pelo Partido Liberal Democrático, o governo irá analisar a viabilidade das propostas.

Veja abaixo um vídeo da reunião do Comitê Financeiro da Câmara dos Vereadores do Japão sobre a liberação do visto para yonseis. No vídeo, Mitsuko Ishii, do partido “Nihon Ishin no Kai”, comenta a importância dos yonseis na comunidade e as reações positivas do primeiro-ministro em relação a isso.


Fonte: Portal Mie com Asahi News

sexta-feira, 31 de março de 2017

Taxas do Consulado do Japão em São Paulo

Solicitações a partir do dia 01 de abril de 2017.

Visto de uma entrada
Brasileiros e outros
R$ 97,00
 Indianos
R$ 27,00
 Iranianos
R$ 161,00

Visto de múltiplas entradas
Brasileiros e outros
R$ 194,00
 Indianos
R$  27,00
 Iranianos
R$ 323,00

Visto de trânsito
Brasileiros e outros
R$  23,00
 Indianos
R$    2,00
 Iranianos
R$ 161,00


 Extensão da Permissão de  Re-entrada
R$ 97,00